Gírias cariocas: uma lista das principais gírias do Rio de Janeiro

Caô, coé, mermão, caraca, 0800, essas são algumas das gírias cariocas mais utilizadas por todos no Rio de Janeiro. O jeito único de falar dos cariocas é cheio de expressões e gírias e, sem dúvidas, faz parte da identidade cultural e do dia a dia dessa população.

Siga a leitura para conferir uma lista das principais gírias cariocas e, é claro, entender o significado de cada uma delas!

A linguagem como parte da identidade cultural de um povo

A linguagem de um povo é uma de suas características culturais mais marcantes. A maneira de falar, o sotaque, as expressões locais e as gírias são aspectos de uma região que compõe a sua identidade. Quando pensamos no Rio de Janeiro, muitas imagens das belezas da cidade vêm à mente, mas, com certeza, o sotaque carioca e o jeito de falar das pessoas também são lembranças únicas do local.

O Brasil é um país com dimensões continentais, isto é, tem o tamanho de um continente inteiro! Isso implica em diversas particularidades que países menores não encontram, como, por exemplo, a quantidade de sotaques existentes em nosso território.

No Brasil, cada canto do país e cada povo apresenta uma cultura particular, uma culinária típica, músicas, danças, religiões, festas tradicionais, costumes e crenças próprias. Esse fenômeno recebe o nome de diversidade cultural e é importantíssimo para o desenvolvimento de qualquer sociedade.

Embora no Brasil a língua oficial seja o português, em cada lugar que vamos percebemos variações linguísticas e uma grande riqueza de expressões e sotaques. Embora falemos a mesma língua oficial, a quantidade de gírias de uma população e sua maneira de falar, muitas vezes, cria uma língua própria! É o que acontece com as gírias cariocas e, por isso, o português falado no Rio de Janeiro ganhou o apelido carinhoso de carioquês.

Origem do sotaque carioca

A origem do sotaque carioca está marcada entre os anos de 1763 e 1960, período no qual a cidade do Rio de Janeiro foi a capital do Brasil.

Durante esses anos, o Rio de Janeiro foi sede da colônia (posteriormente República) e abrigou a família real portuguesa e grande parte da corte também. Nesse período, registros indicam que a população do Rio era formada por um terço de imigrantes vindos de Portugal.

Esse grande contingente populacional português fez com que a maneira de se falar no Rio de Janeiro fosse muito influenciada pelo sotaque de Portugal. É por esse motivo que percebemos, no sotaque carioca, tantos elementos semelhantes ao sotaque português. O chiado do “S”, tão característico carioca, deriva dessa mistura.

Com relação às gírias cariocas (de qualquer lugar!), é muito difícil saber qual é sua origem, pois a língua está em constante processo de modificação. Para se comunicarem, as pessoas incorporam diferentes palavras a seu idioma e ressignificam outras, criando assim um vocabulário único e que está sempre em transformação.

Confira a seguir uma lista das principais gírias cariocas, seus significados e exemplos!

Lista das principais gírias cariocas

  • 0800: algo que é de graça.

Exemplo: “Vamos naquela boate hoje! A entrada é 0800!”

  • Amarelar: desistir de algo por medo ou covardia.

Exemplo: “Ela ia aprender a andar de moto, mas amarelou.”

  • Arroz: refere-se a homens que dão em cima de muitas mulheres e nunca ficam com nenhuma.

Exemplo: “Ele é o maior arroz! Já tentou ficar com todas nós.”

  • Arroz de festa: Alguém que não perde nenhuma oportunidade de estar em uma festa, uma pessoa que vai a todos os lugares para os quais é convidada, que está em todos os lugares.

Exemplo: “A Mariana com certeza vai estar lá, ela é muito arroz de festa!”

  • Birita: bebida alcoólica de qualquer tipo.

Exemplo: “Sexta feira é dia de birita com os amigos.”

  • Bolado: quando se está chateado, preocupado, confuso ou aborrecido com algo

Exemplo: “Ela ficou bolada com a atitude da colega.”

  • Bombar: fazer sucesso, chamar atenção de forma positiva.

Exemplo: “O evento que ele organizou bombou.”

  • Caô: o mesmo que mentira.

Exemplos: “Ele disse ser o melhor aluno da classe, mas é tudo caô.”

  • Caozeiro: pessoa mentirosa.

Exemplo: “Aquele garoto é um caozeiro.”

  • Cara: o mesmo que colega, amigo. É usado para se referir a alguém de maneira informal.

Exemplo: “Foi mal, cara! Da próxima vez eu prometo que não recuso o seu convite.”

  • Caraca: expressão utilizada para indicar espanto, surpresa.

Exemplo: “Caraca! Não acredito que deu tudo certo com aquele trabalho, que ótimo!”

  • Coé: o mesmo que “qual é”. Pode ser usado para cumprimentar alguém, para expressar indignação e revolta ou como expressão de surpresa.

Exemplos: “Coé cara, tudo certo?” “Coé, Joana! Não acredito que você fez isso comigo.”

  • Crowdeado: o mesmo que “muito cheio”. Refere-se a locais muito lotados.

Exemplo: “A praia estava crowdeada, então decidimos ir embora.”

  • Dar um bolo: não comparecer a um compromisso, “furar” com alguém, combinar algo com uma pessoa e faltar.

Exemplo: “Marquei com ela de irmos ao teatro, mas ela me deu um bolo.”

  • Irado: Uma coisa muito boa, muito positiva.

Exemplo: “Você viu aquele filme? É muito irado!”

  • Já é: expressão usada para confirmar algo ou para encerrar uma conversa em que alguma coisa foi decidida.

Exemplo: “Nos encontramos às 10 horas então!

Já é!”

  • Maneiro: refere-se a alguma coisa que é interessante, bonita ou legal.

Exemplo: “As amigas dela são muito maneiras! Que bom que elas foram com a gente na festa.”

  • Marcar um dez: o mesmo que enrolar, esperar por alguns minutos.

Exemplo: Ela me disse que vai marcar um dez em casa, já que estamos atrasados para sair.

  • Mec: o mesmo que tranquilo.

Exemplo: “Ela falou que está cansada e vai ficar de mec na casa dela hoje.”

  • Menor: uma forma de chamar as pessoas. Equivalente a “cara” ou “mermão”.

Exemplo: “Coé menor, vamos na praia amanhã?”

  • Mermão: o mesmo que “meu irmão”. É uma palavra usada para falar com qualquer pessoa, independente se for um amigo, ou um desconhecido.

Exemplo: “Mermão, você viu o último episódio daquela série?”

  • Na mão do palhaço: refere-se a uma pessoa que ficou muito bêbada e perdeu o controle.

Exemplo: “Caraca, ontem o Vinícius estava na mão do palhaço durante o churrasco.”

  • Parada: palavra utilizada para substituir o uso de “coisa”. Também pode ser usada para se referir ao assunto do qual se está falando.

Exemplos: “Preciso te contar uma parada, Ana.” “Eu não posso fazer nada sobre essa parada.”

  • Papo reto: significa ir direto ao assunto, falar sério, sem enrolação.

Exemplo: “Papo reto aqui, você acha mesmo que ele está falando a verdade?”

  • Perder a linha: fazer algo inconsequente, sem pensar.

Exemplo: “Quando ele bebe demais, ele perde a linha.”

  • Piar: o mesmo que aparecer em algum lugar, comparecer.

Exemplo: “Eu vou piar na festa dele amanhã.”

  • Rolé: substitui a palavra passeio.

Exemplo: “Eu vou dar um rolé na praia hoje, quer ir?”

  • Sacar: significa entender.

Exemplo: “Eu já saquei que ele só tá falando isso porque precisa de alguma coisa de mim.”

  • Sangue bom: alguém legal, bondoso, de bom coração.

Exemplo: “O pai dele é muito sangue bom.”

  • Sinistro: refere-se a algo positivo. Também pode expressar dificuldade.

Exemplo: “A ideia dela para a festa foi muito sinistra! Vai ser maneiro!” “O trânsito estava sinistro hoje, por isso me atrasei.”

  • Tá ligado: um questionamento usado para perguntar se a pessoa entendeu o que você disse. Também usado para referir-se a algo que você acha que a pessoa já sabe.

Exemplo: “Eu acho que vou pedir pra conversar com ela, tá ligado?” “Você tá ligado que eu não gosto desse tipo de filme.”

  • Vacilo: o mesmo que erro, engano, falha. Pode ser usado para se referir a uma situação desagradável. Quem vacila é chamado de vacilão.

Exemplos: “Ela mentiu pra mãe dela e a mãe descobriu, que vacilo!” “O ex namorado dela é muito vacilão!”

  • Zero bala: refere-se a algo novo.

Exemplo: “Viu meu tênis? Zero bala! Comprei ontem.”