Ceticismo: o que é, significado, conceito e definição

O que é Ceticismo?

Ceticismo poderia ser resumido apenas como “não acreditar”. Porém, o seu significado é mais profundo e se refere ao ato de questionar fatos, opiniões ou crenças que estão estabelecidas na sociedade como imutáveis. Também possui o seu lugar na Filosofia, tendo como significado a doutrina da qual o espírito humano não pode atingir nenhuma certeza a respeito da verdade.

Nesse sentido, o ceticismo como corrente de pensamento filosófico defende a ideia da impossibilidade do conhecimento de qualquer verdade. Esse significado surgiu na Grécia Antiga, através do filósofo grego Pirro de Élis e foi aplicado na escola de Skeptikoi, que “nada afirma”. Além disso, o ceticismo clássico rejeita qualquer tipo de dogma – o que é tido como algo certo, sem espaço para questionamentos.

Para os praticantes do ceticismo, os céticos, todo conhecimento é relativo, pois depende da realidade do indivíduo que o possui e das condições do objeto que é analisado. A isso se aplicam tanto as leis e costumes, como visões de mundo e crenças, que por mudarem conforme o período histórico e mesmo de acordo com os diferentes grupos da sociedade torna-se impossível definir o que é correto e incorreto.

O ceticismo acredita que a melhor forma se posicionar sobre os diferentes temas é com neutralidade, sem fazer julgamentos. Além disso, os céticos podem até mesmo duvidar da confiabilidade de seus próprios sentidos.

Há também o ceticismo religioso, o qual é definido como “a dúvida sobre princípios religiosos básicos (como a imortalidade, a providência e a revelação)”. Já o ceticismo científico, também chamado empírico, questiona crenças com base na compreensão científica. A maioria dos cientistas tem esse perfil.