Hipster: o que é e qual o significado da gíria?

Sabe aquelas pessoas que adoram criar estilos próprios, desconstruir conceitos formados e apresentar tendências alternativas? Esses são os Hipster, a denominação para pessoas que tem um estilo musical, de moda, alimentar e cultural próprio.

De uma forma geral Hipster é alguém que pensa, age e se veste de forma totalmente diferente da “mainstream”, que significa algo como moda dominante ou o que a maioria está usando e fazendo.

Hipster é um termo em inglês, onde “hip” significa inovador, descolado. A palavra vem sendo utilizada desde 1940, quando jovens de classes sociais mais ricas começaram a imitar o estilo de cantores de jazz da época.

Mas foi somente nos anos 2000 que a palavra se tornou mais popular, muito utilizada para classificar jovens com idade entre 15 e 25 anos que fazem combinações aleatórias de roupas modernas com estilo vintage.

Nessa época, também, se tornou ofensa – de certa forma – chamar uma pessoa de Hipster, já que configurava algo irônico, indicando que o indivíduo se esforçava demais para ser legal, aceito, bem vestido e intelectual. Ou seja, chamar alguém de hipster era dizer que a pessoa estava tentando parecer legal, mas não estava conseguindo.

Na decoração das casas, os Hipster também ganharam espaços, unindo itens antigos com peças contemporâneas e modernas, monotonia de cores e minimalismo. O que caracteriza um Hipster realmente é o estilo próprio, algo desconcertado, montado pela própria pessoa, com tendências de diferentes épocas.

Para chegar a esse estilo, os Hipster jovens buscaram peças muito utilizadas nos anos 40, 50 e 60 e mesclaram com peças atuais, é o caso dos chapéus, óculos escuros mais quadrados, no modelo wayfarer e poá – as famosas bolinhas – estampadas em diversas peças.

O xadrez também é típico dos Hipsters, podendo vir até nos tênis e sapatos utilizados, assim como em saias, blusas e camisas.

Mas indo além da moda, os hipster tem muitas características alternativas na estética e no perfil musical. De uma forma geral, os hipsters têm um gosto musical seletivo e diversificado, ficando distante de bandas pop e comerciais.  Quanto ao cinema, eles curtem filmes antigos, filmes mudos e de realidade alternativa.

Hipsters também vão na contramão das “convenções sociais” e de tudo que é muito comercial, inclusive no âmbito alimentar. Eles adoram resgatar culturas populares locais e julgam frequentemente o que está sendo feito ou utilizado pela maioria das pessoas.

É importante lembrar que, se antes os Hipster eram conhecidos por serem reclusos e com estilo que não era seguido por ninguém, hoje eles estão nas revistas, jornais, filmes e novelas, marcando espaço na cultura moderna. Se eles não eram populares, esse é o momento em que começam a ser.

No âmbito social e cultural, os Hipster frequentam galerias de arte, feiras abertas, lojas de vinil, brechós e feiras de antiguidade.

Para muitas pessoas, ainda nos dias de hoje, os Hipster são idealizados como cafonas e sem estilo por criarem combinações sem harmonia visual e sem tendências aparentes. Já por outros, são considerados inovadores, autênticos, diferentes e inusitados.