Pleonasmo: o que é, significado, conceito e definição

O que é Pleonasmo?

Pleonasmo é uma palavra classificada como uma figura de estilo, que funciona como redundância, podendo ela ser proposital ou não, geralmente, usada em uma expressão. Assim, é uma repetição, na mesma frase, das mesmas ideias por meio de palavras diferentes. Alguns de seus sinônimos são circunlóquio, perífrase, redundância e superfluidade.

Quando o objetivo do pleonasmo utilizado em uma expressão é o de enfatizar uma ideia, não é considerado um erro. Nesses casos, o pleonasmo também ganha o nome de pleonasmo literário, de reforço, estilístico ou semântico.

É comum que os autores façam uso desse recurso em suas obras, sendo sempre propositais. Alguns exemplos são “Morrerás morte vil na mão de um forte”, de Gonçalves Dias; “Ó mar salgado, quanto do teu sal. São lágrimas de Portugal”, de Fernando Pessoa; “O cadáver de um defunto morto que já faleceu”, de Roberto Gómez Bolaños; e “E rir meu riso”, de Vinícius de Moraes.

O pleonasmo musical também existe e ao invés de ocorrer em obras literárias como o pleonasmo literário, o musical aparece nas letras de músicas. Exemplos são “Vamos fugir para outro lugar”, de Gilberto Gil; e “Eu vivo na espera de poder viver a vida com você”, de Charlie Brown Jr.

Já o pleonasmo vicioso se refere às repetições desnecessárias para expressar uma ideia, quando são ditas ou escritas de forma equivocada. Exemplos são “Subir para cima”, “Hemorragia de sangue”, “Entrar para dentro”, “Suicidou-se a si mesmo” e “Panorama geral”. Outros exemplo são “Adiar para depois”, “Encarar de frente”, “Fogo que arde” e “Descer para baixo”.