Gírias Baianas: conheça as principais gírias da Bahia

Você sabe o que significa barril, bolo doido e binho? Pode até parecer que sim, mas, e em “baianês”, você sabe o que essas palavras querem dizer? Siga a leitura para aprender o significado das principais gírias baianas!

Diversidade cultural e linguística

O Brasil é um país de dimensões continentais e, por isso, possui enorme riqueza e diversidade cultural. Em cada cantinho do país, cada povo apresenta costumes próprios, comidas típicas, músicas e danças características, festas e religiões tradicionais, enfim! Quando você pensa na Bahia, na mesma hora relaciona o local com algum elemento cultural de lá.

Quando falamos em cultura, a linguagem é parte importantíssima da identidade de cada povo. No Brasil, embora o idioma oficial seja o português e todos nós falemos a mesma língua, as variações linguísticas são muito comuns. Expressões, gírias e, principalmente, sotaques são pontos que compõe a identidade cultural de uma determinada população.

As gírias baianas são muito utilizadas pela população local, que carinhosamente apelidou a linguagem baiana de “baianês”. Para conhecer essas expressões tão comuns da cultura da Bahia, não perca a lista a seguir!

Lista de gírias e expressões baianas

  • Abestalhado: refere-se a alguém que fala muita bobagem, que fala coisas sem noção, que não entende o assunto do qual está falando;
  • Avexado: refere-se a alguém que está revoltado ou bravo com alguma situação;
  • Azuado: refere-se a alguém que faz o que quer na cabeça, que está maluco;
  • Barril: termo usado para descrever uma situação muito difícil;
  • Bala: descreve uma coisa muito boa, uma coisa incrível;
  • Baixastral: refere-se a alguém que não sabe conversar, que não tem educação ou classe;
  • Binho/binha: um apelido genérico, usado para chamar pessoas que você não sabe o nome, ou usado de forma carinhosa;
  • Bolo doido: usado para descrever uma situação confusa, difícil de explicar;
  • Brocou: usa-se quando alguém faz algo incrível, dá um show, arrasa;
  • Cabrunco: usado para se referir a alguma coisa que deixe uma pessoa irritada;
  • Canguinhagem: o mesmo que muquirana, pão-duro, mão-de-vaca.
  • Comenu no centro: refere-se a uma situação muito difícil, muito intensa, quando “o bicho tá pegando”;
  • Comer água: o mesmo que beber;
  • Disgramado: refere-se a alguém ingrato;
  • Dar o Doce: significa falar tudo o que der tem vontade, falar sem filtros;
  • Escaldar: o mesmo que sacanear, jogar pesado;
  • Fique aí: usado para dizer para alguém ficar atento;
  • Frete: o mesmo que paquera;
  • Gaiato: refere-se a alguém que é ousado, que não tem limites;
  • Ginge: o mesmo que agonia, gastura;
  • Intrão: uma pessoa intrometida;
  • Me faça uma garapa: o mesmo que “faça-me o favor”;
  • Massa: usado para descrever algo legal, interessante, incrível;
  • Na tora: refere-se a algo feito à força;
  • Na cocó: refere-se a algo feito escondido, com discrição;
  • Não lhe dei ousadia: o mesmo que “não lhe dei liberdade”;
  • Ó paí ó: usado como uma maneira de reclamação;
  • Oxente: usado para indicar surpresa;
  • Oxe: usado para indicar indignação;
  • Paletada: refere-se a andar muito, fazer uma caminhada longa a pé;
  • Paporra: usado como advérbio de intensidade;
  • Queixo de cimento: alguém mentiroso, que inventa muitas histórias;
  • Quando a galinha nascer dente: usado para fazer referência à alguma coisa improvável, difícil de acontecer;
  • Se pique: o mesmo que ir embora, se mandar;
  • Tacar o pau: ser sincero, falar verdades;
  • Tomar um gelo: o mesmo que beber;
  • Ximbar: o mesmo que perder uma oportunidade, se dar mal;
  • Zig/Zig nal: refere-se a “levar um perdido”, ser enganado.